O ECUMENISMO NO BRASIL – parte1

(Qual deve ser a posição da Igreja de Cristo?)

    Graça e Paz!!! É com muito prazer que trago este artigo sobre “ecumenismo no Brasil”, o que é?, como funciona? e qual a sua finalidade?. Trata-se de um estudo de pesquisa do Pastor Adelino, que tem sido um grande colaborador à serviço do Reino de Deus e muito nos abençoado em nossa igreja (Igreja Missionária Maanaim Renovada – Goiana/PE).

                E é com a sua devida autorização que mostrarei de forma clara e à Luz da Bíblia algumas considerações sobre o ecumenismo (principalmente aqui no Brasil). Para isto irei apresentar material de pesquisa cedido pelo Pr. Adelino e minhas conclusões a respeito. Não tenho a pretensão de trazer um material definitivo e totalitário sobre o ecumenismo, apenas quero divulgar e esclarecer este assunto tão importante e também porque não pode continuar sendo algo desconhecido pelos nossos irmãos em Cristo.

                Antes mesmo de examinarmos o texto, precisamos saber o que significa a palavra “ecumenismo”. Eu sempre falo que se quisermos entender algo, temos de começar pela sua origem, entender como, por que e por quem foi criado. Então, examinando o significado da palavra ‘ecumenismo’, em primeira instância, ela parece inofensiva. A palavra original significa somente ‘universo’ e, nos primórdios dos tempos, foi usada apenas para relatar a todos os povos a que se deveria dirigir a pregação do Evangelho. Se ecumenismo refere-se a quem devemos pregar a Palavra de Deus, temos simpatia por ele. Devemos pregar o Evangelho a toda a criatura (Mc 16:15). Se um ecumênico é apenas uma pessoa que é habitante de um lugar do mundo, eu sou e você é um ecumênico. Mas, se a palavra ‘ecumenismo’ é entendida religiosamente como sendo uma identificação doutrinária igual para todas as igrejas, nenhum batista verdadeiro quer ser identificado com essa posição. Se um ecumênico é uma pessoa disposta à convivência e diálogo com outras confissões religiosas, como é que um batista verdadeiro pode ser um ecumênico? Na verdade, todas as outras igrejas têm tanto direito constitucional de existir quanto a nossa, mas relações íntimas (pois a palavra ‘convivência’ significa: 1. Ato ou efeito de conviver; relações íntimas; familiaridade, convívio. 2. Trato diário, Dicionário Aurélio Eletrônico) são impossíveis. Se a palavra ‘dialogar’ significa ‘travar ou manter entendimento’ (Dicionário Aurélio Eletrônico), os batistas verdadeiros, em relação à doutrina, não têm boa razão para manter entendimento com os que não obedecem a verdade. Podemos pregar aos que não concordam conosco e ensiná-los, mas sentar junto e dar a aparência que nossa igreja tem muito em comum com a doutrina de igrejas de outra fé seria um ato gritante de hipocrisia. (as frases em itálico foram extraídas do site vivos.com.br).

                Tendo estas considerações em mente, escrevo abaixo alguns pontos, trazidos pelo Pr. Adelino, a serem observados:

  1. Aqui, no Brasil a ameaça totalitária do movimento ecumênico, acompanhado pelo princípio da Babilônia já está se esboçando na recente criação de um movimento de ampla pesquisa e situação religiosa neste país. Tal pesquisa está sendo promovida numa cooperação coletiva, pelo Centro de Estatística Religiosa e Investigação Social (Conferência dos Bispos e dos Religiosos do Brasil), pelo Instituto Evangélico de Pesquisas e pelo Centro Ecumênico de Curitiba, que se constitui de católicos e protestantes. A finalidade principal desse gigantesco esforço de pesquisa, que terá a duração de três anos, depois de ser feita uma análise e uma interpretação dos dados coletados, será a de “projetar a ação ecumênica de tal modo que sejam cristãos induzidos a praticar a fé e a expressar a unidade que Jesus Cristo quer na sua igreja”. (Diário Popular, dia 22 de maio de 1967).
  2. Isso representa o começo formal da arregimentação religiosa dos poderes ecumênicos aqui no Brasil, e representa também uma grande ameaça a nossa liberdade religiosa, ao nosso direito de consciência em face da questão ecumênica dos nossos dias, e a nossa posição protestante, evangélica e fundamentalista.
  3. Esse empurrão ecumênico representa a maior ameaça para a igreja de Cristo, na sua mensagem, na sua liberdade, na sua autonomia e, até na sua existência; representa perigo maior do que qualquer outro que a igreja enfrenta nos dias atuais. A missão da igreja, para eles, só será cumprida mediante a unidade orgânica de toda a cristandade, com seus vários ramos, dando testemunho desta unidade, incluindo toda especial de crença, desde o fundamentalismo até o ateísmo ou paganismo. Essa força, que vem vindo sobre nós com uma rapidez espantosa, será a morte da nossa liberdade religiosa, social e política, como nós entendemos termo, e o começo de um período de grande perseguição e tribulação para os crentes, mesmo antes do arrebatamento da Igreja e Grande Tribulação.
  4. Todas as coisas acima descritas vão acontecer na hora marcada por Deus. Façamos questão de estar com Cristo e com o seu remanescente fiel, sabendo que o “mistério de injustiça” vai operar cada vez mais no seio da igreja de Cristo, mas, mesmo assim, “as portas do inferno não prevalecerão contra ela”, (2 Tess. 2:7; Mat. 16:18). Deus terá a última palavra neste conflito dos séculos. Ele será vitorioso contra Satanás, em oposição a todos os seus esforços e influências nefastas, representadas pelo princípio de Babilônia, através da história da humanidade e da igreja.
  5. A gigantesca Igreja Ecumênica do Anticristo irá a uma direção e a igreja invencível de Cristo, constituída pelo remanescente fiel e separada, irá na direção oposta.
  6. A Ele sejam a glória, majestade, domínio e poder para todo o sempre!!! Amém.
Anúncios

3 respostas em “O ECUMENISMO NO BRASIL – parte1

  1. Gostei do texto acerca deste tema, muito interessante, mas peço perdão ao Irmão em esclarecer meu entendimento em um determinado ponto.
    Obs: Em relação ao ponto 4, diz em João (Cap. 16:33)
    Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais Paz. No mundo tereis tribulações, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo.
    Entendo que Ele não vencerá, Ele já venceu e nele somos mais que vencedores, confiando nas promessas, em sua fidelidade para conosco e na certêza de que todas as profécias irão se cumprir, segundo os desígnios de Deus. E nós Cristãos sabendo isso não temos poder para mudar o que já está estabelecido desde os primordios dos tempos, pelo nosso Criador.
    Acho que devemos ensinar a palavra, tão só a palavra em sua essência, sem proselitismo, sem embutir nossos conceitos e préconceitos, crendo que o Espírito Santo, que convence o homem do pecado, tenha liberdade para operar e enquanto nós, homens escolhidos para pregar o Evangelho, nos empenhemos e nos esforçemos em anunciar a santa palavra do Senhor. Amém…!

    • Graça e Paz irmão Ailton e obrigado pelo comentário. Seu esclarecimento foi muito importante, eu também penso da mesma forma. Quero deixar registrado que o texto postado é um estudo do Pr. Adelino e foi concedido para publicação. E que embora tenha sido escrito “vencerá” o pensamento é de que Jesus já venceu, mas no texto foi mal colocado.

  2. Acredito eu, lendo as escrito que são as palavras de Deus, o Senhor quer todos os seus servos unidos independente de igreja, pois o que devemos estudar, pregar e seguir são as palavras de Deus conforme a Bíblia. Ide e pregai o evangelho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s